Uma proposta de instrumento de pesquisa para a avaliação do desempenho do Escritório de Gerenciamentos de Projetos

Ronielton Rezende Oliveira, Henrique Cordeiro Martins, Alexandre Teixeira Dias, Plínio Rafael Reis Monteiro

Resumo


É intrínseco a natureza humana medir para conhecer, sendo este um objetivo direto ou indireto do processo de geração de informação e absorção de conhecimento. Diante da lacuna existente na disciplina do Gerenciamento de Projetos em relação à disponibilização de instrumentos de pesquisa validados, o propósito deste artigo é apresentar as etapas de elaboração de um instrumento para a pesquisa quantitativa nesta área de conhecimento. As afirmações foram validadas por especialistas nacionais e internacionais. Este poderá ser utilizado para a coleta de dados em outro estudo, com o objetivo de avaliar um modelo conceitual que se destina a medir o desempenho do Escritório de Gerenciamento de Projetos.


Palavras-chave


Instrumento de Pesquisa; Validação de Instrumento; Likert; Método Delphi; Estudo Qualitativo; Questionário; Gerenciamento de Projetos; Escritório de Projetos; EGP

Texto completo:

PDF

Referências


Calixto, G. M., Furlan, P. K., & Carvalho, M. M. (jan./abr. de 2012). Estudo das tendências na análise de competências na gestão de projetos através de técnicas de bibliometria. Revista de Gestão e Projetos - GeP, v. 3, n. 1, p. 181-196.

Carvalho, M. M., Rabechini Júnior, R., Pessôa, M. S., & Laurindo, F. J. (jul./ago./set. de 2005). Equivalência e completeza: análise de dois modelos de maturidade em gestão de projetos. R.Adm. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 40, n. 3, p. 289-300.

Castro, G. C., Silva, H. H., Nunes, J. G., & Pinheiro, R. M. (2008). Comportamento do consumidor e pesquisa de mercado (3 ed.). Rio de Janeiro: FGV.

Costa, J. (2011). Mensuração e desenvolvimento de escalas: aplicações em administração. Rio de Janeiro: Ciência Moderna.

Dinsmore, P. C., & Cabanis-Brewin, J. (2009). AMA Manual de Gerenciamento de Projetos. (A. Cavalieri, J. L. Anselmo, F. Abdollahyan, & M. F. Cota, Trads.) Rio de Janeiro: Brasport.

Hallows, J. E. (2002). The project management office toolkit. New York: AMACOM.

Holzmann, V. (2013). A meta-analysis of brokering knowledge in project management. International Journal of Project Management, v. 31, n. 1, p. 2-13.

ISACA. (2012). COBIT5: A Business Framework for the Governance and Management of Enterprise IT. Rolling Meadows, Illinois: Information Systems Audit and Control Association.

Jugdev, K. (2004). Through the looking glass: Examining theory development in project management with the resource-based view lens. Project Management Journal, v. 35, n. 3, p. 15-26.

Kerzner, H. (2006). Gestão de Projetos: as melhores práticas (2 ed.). (L. B. Ribeiro, Trad.) Porto Alegre: Bookman.

Kerzner, H. (2011). Gerenciamento de Projetos: uma abordagem sistêmica para planejamento, programação e controle. (J. G. Neto, & J. I. Prado, Trads.) São Paulo: Blucher.

LeyBourne, S. (2007). The changing bias of Project Management research: a consideration of the literatures and an application of extant theory. Project Management Journal, v. 38, n. 1, p. 61-73.

Malhotra, N. K. (2012). Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada (6 ed.). (L. B. Ribeiro, & M. Stefani, Trads.) Porto Alegre: Bookman.

Marconi, M. d., & Lakatos, E. (2003). Fundamentos de Metodologia Científica (5 ed.). São Paulo: Atlas.

Martins, D. d., Souza, D. d., & Melo, K. C. (2006). Utilização do Método Delphi no processo de planejamento estratégico: duas perspectivas e a garantia de eficiência e heterogeneidade. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 26., 2006, Fortaleza. Anais... Rio de Janeiro: ENEGEP.

Martins, H. C., Moura, M. T., & Mesquita, J. C. (jul./dez. de 2011). Escritórios de Projeto como resposta estratégica da organização - um estudo de caso na VALE. Revista de Gestão e Projetos - GeP, v. 2, n. 2, p. 26-52.

Müller, R., Glückler, J., & Aubry, M. (2013). A Relational Typology of Project Management Offices. Project Management Journal, v. 44, n. 1, p. 59-76.

OGC. (2011). Gerenciando Projetos de Sucesso com PRINCE2™. Norwich, Norfolk: Office of Government Commerce: The Stationery Office (TSO).

Oliveira, R. R. (2013). Antecedentes do desempenho do Escritório de Gerenciamento de Projetos: estratégia, pessoas e operações – uma proposta de modelo conceitual. Dissertação de Mestrado. Universidade FUMEC, Belo Horizonte.

Patah, L. A. (2010). Avaliação da relação do uso de métodos e treinamentos em gerenciamento de projetos no sucesso dos projetos através de uma perspectiva contingencial - uma análise quantitativa. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo - USP, São Paulo.

Patah, L. A., & Carvalho, M. M. (abr./jun. de 2009). Alinhamento entre estrutura organizacional de projetos e estratégia de manufatura: uma análise comparativa de múltiplos casos. Gestão & Produção, v. 16, n. 2, p. 301-312.

PMI. (2013). A guide to the project management body of knowledge (PMBOK® guide) (5 ed.). Newton Square, Pennsylvania: Project Management Institute.

Raymundo, V. P. (jul./set. de 2009). Construção e validação de instrumentos: um desafio para a psicolinguística. Letras de Hoje, v. 44, n. 3, p. 86-93.

Rodrigues, I., Rabechini Júnior, R., & Csillag, J. M. (jul./ago./set. de 2006). Os escritórios de projetos como indutores de maturidade em gestão de projetos. R.Adm. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 41, n. 3, p. 273-287.

Sampieri, R. H., Collado, C. F., & Lucio, M. B. (2013). Metodologia de pesquisa (5 ed.). (D. V. Moraes, Trad.) Porto Alegre: Penso.

Serra, F. R., Ferreira, M. P., Maccari, E., Almeida, M. R., & Serra, B. (out./nov. de 2012). Status da produção acadêmica brasileira em PM - uma avaliação a partir de trabalhos do ENANPAD e ENEGEP. Revista MundoPM(47, p. 68-78).

Soler, A. M. (fev./mar. de 2013). Reflexões sobre a implantação de Escritórios de Gerenciamento de Projetos (PMOs) em Empresas da Indústria da Construção. Revista MundoPM(49, p. 10-15).

Spalek, S. (2013). Improving Industrial Engineering Performance through a Successful Project Management Office. Inzinerine Ekonomika-Engineering Economics, v. 24, n. 2, p. 88-98.

Vergara, S. C. (2012). Métodos de Pesquisa em Administração (5 ed.). São Paulo: Atlas.

Wright, J. T., & Giovinazzo, R. A. (2000). DELPHI - uma ferramenta de apoio ao planejamento prospectivo. Caderno de Pesquisas em Administração, v. 1, n. 12, 2 trim.

Xavier, C. M., Vivacqua, F. R., Macedo, O. S., & Xavier, L. F. (2009). Metodologia de Gerenciamento de Projetos METHODWARE®: abordagem prática de como iniciar, planejar, executar, controlar e fechar projetos (2 ed.). Rio de Janeiro: Brasport.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/10.5585

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Gestão e Projetos e-ISSN: 2236-0972
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional