É mais importante Comunicar do que Fazer: Como é Feita e Percebida a Comunicação nos Projetos segundo o Gerente de Projetos Brasileiro

Marcelo Almeida de Carvalho Silva, Marcos Lopez Rego, José Ernesto Mattoso Faillace Junior

Resumo


A nova configuração competitiva do mercado corporativo obriga as empresas a buscarem soluções inovadoras para sua própria sobrevivência. Nesse contexto ganha importância dentro das organizações o gerenciamento de projetos, uma vez que qualquer mudança substancial ou incremental em uma organização seja lançamento de produtos, reestruturações, fusões ou aquisições se dá por meio de projetos. Contudo, para o sucesso de um projeto, é importante que haja uma comunicação eficaz. Entenda-se por comunicação qualquer tipo de transmissão de informações. Neste sentido, torna-se fundamental compreender como funcionam as comunicações nos projetos brasileiros e como essas comunicações são percebidas pelo gerente de projetos brasileiro. O presente trabalho buscou compreender como o é feita a comunicação nos projetos brasileiros e como o gerente de projetos percebe essa área do conhecimento. Os resultados foram apontam a visão estratégica, a visão processual, os objetivos do gerente com a comunicação, a aderência aos guias de boas práticas, as barreiras e o que ainda não é feito no gerenciamento das comunicações.


Palavras-chave


Comunicação em projetos; gerente de projetos; projetos brasileiros

Texto completo:

PDF

Referências


Amaral, I. G.; Leite, N. R. P.; Kniess, C. T. (2012, novembro). A gestão da comunicação de um projeto educacional: O caso Expo RH. In: I SINGEP - Simpósio Internacional de Gestão de Projetos. São Paulo, Uninove.

Ammeter, A. P.; Dukerich, J. M. (2002). Leadership, team building, and team member characteristics in high performance project teams. Engineering Management Journal, 14(4), 3–10.

APM, Association for Project Management (2012). APM Body of Knowledge. 6th edition, London, APM Books.

Arantes, N. (1998). Sistemas de gestão empresarial. São Paulo: Atlas.

Bateman, T.; Snell, S. (2006). Administração: Novo cenário competitivo. São Paulo: Atlas.

Blikstein, I.; Alves, M. A.; Gomes, M. T. (2009). Nova técnica: os estudos organizacionais e a comunicação no Brasil. In: Caldas, M.; Fachin, R.; Fischer, T. (Orgs.). Handbook de estudos organizacionais – ação e análise organizacionais (v. 3, p. 126-130). São Paulo: Atlas.

Boltanski, L.; Chiapello, É. (1999) Le nouvel esprit du capitalisme. Paris, Galinard.

Cardoso, O. (2006, setembro). Comunicação organizacional: novos desafios teóricos. Anais do XXX EnANPAD - Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração, Salvador, Brasil, 23-27.

Carvalho, M.; Rabechini Jr. (2011) Fundamentos em gestão de projetos: construindo competências para gerenciar projetos. São Paulo: Atlas.

Carvalho, M.; Mirandola, D. (2007). A comunicação em projetos de TI: uma análise comparativa das equipes de sistemas e de negócios. Revista Produção. 17 (2), 330-342.

Casali, A. (2004). Comunicação Organizacional: uma ciência híbrida. Revista de Estudos de Jornalismo e Relações Públicas. Universidade Metodista de São Paulo. 3,(6).

Christensen, L.T., Cornelissen, J. (2011). Bridging Corporate and Organizational Communication: Review, Development and a look to the Future. Management Communication Quarterly. 25(3) 383-414.

Cleland, D.; Ireland, L.(2007) Gerenciamento de Projetos. 2ª. Edição, Rio de Janeiro, LTC.

Cohen, A. R.; Fink, S. (2003). Comportamento Organizacional: Conceitos e Estudos de Caso. Rio de Janeiro: Campus.

Dewine, S. (1994). The Consultant's craft: Improving organizational communication. New York: St Matins's Press.

Dinsmore, P.; Neto, F.(2012). Gerenciamento de Projetos e o fator humano: Conquistando resultados através das pessoas. Rio de Janeiro: Qualitymark Editora.

Ferreira, A.B.H. (1988). Dicionário Aurélio básico da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Fox, S. (2001, november). Effective communication: stone age to e-comm. Proceedings of the Project Management Institute Annual Seminars & Symposium, Nashville, USA.

Giammalvo, P.D. (2007). Is project management a profession? If yes, where does it fit and if not what is it? PhD Thesis, ESC Lille School of Management.

Gido, J.; Clements, J. (2007). Gestão de Projetos. São Paulo : Thomsom Learning.

Guilbert, J.; Jumel, G. (1997). Métodologie des Pratiques de Terrain em Sciences Humanines et Sociales. Paris: Armand Colin

Heldman, K. (2006). Gerência de Projetos. Rio de Janeiro, Elsevier, 3ª. edição.

Henderson, L.S. (2008). The Impact of Project Managers’ Communication Competencies: Validation and Extension of a Research Model for Virtuality, Satisfaction, and Productivity on Project Teams. Project Management Journal. 39(2), 48-59.

Kerzner, H. (2002). Gestão de projetos: as melhores práticas. Porto Alegre: Bookman.

Maxwell, J. (2005). Qualitative research design. Thousand Oaks: Sage, 2nd edition,

Mintzberg, H. (1983). Structuring in fives: designing effective organizations. Englewood Cliffs: Prentice Hall.

Packendorff, J. (1995). Inquiring into the temporary organization: New directions for project management research. Scandinavian Journal of Management, 11(4), 319-333.

Pinto, J.; Slevin, D. (1987). Critical factors in successful project implementation. IEEE Transactions on Engineering Management, 34(4), 22-27.

Pinto, M. B.; Pinto, J. K. (1991). Determinants of cross-functional cooperation in the project implementation process. Project Management Journal, 22(2), 13–20.

PMI, Project Management Institute. (2013). Um guia do conhecimento em gerenciamento de projetos- Guia PMBOK. 5ª. edição, Newtown Square: Project Management Institute.

Putnam, L. L.; Phillips, N.; Chapman, P. (2009). Metáfora da comunicação e da organização. In: Caldas, M.; Fachin, R. e Fischer, T. (Orgs.) Handbook de estudos organizacionais – ação e análise organizacionais (v. 3, p. 77-125). São Paulo: Atlas.

Rabechini Jr, R. (2001). A importância das habilidades do gerente de projetos. Revista de Administração, 36(1), 92-100.

Rabechini Jr., R.; Carvalho, M.; Laurindo, F. (2002). Fatores críticos para implementação de gerenciamento por projetos: o caso de uma organização de pesquisa. Revista Produção. São Paulo, 12(2).

Rego, M.; Silva, J. (2012, julho). Desafios e responsabilidades do Gerente de Projetos: Um estudo exploratório dos fatores que afetam o desempenho. XXVII Simpósio de gestão da Inovação Tecnológica - 2012. Salvador, Brasil.

Rego, M.; Irigaray, H. (2011, maio). Gerenciamento de projetos: existe produção científica brasileira? Anais do XXV EnANPAD. Rio de Janeiro, Brasil.

Ruão, T. (1999). “A Comunicação Organizacional e a gestão de Recursos Humanos. Evolução e actualidade”, Cadernos do Noroeste, 12,(1) 179-194, CCHS - Centro de Ciências Históricas e Sociais, Universidade do Minho, Portugal.

Ruuska, I.; Vartiainen. (2003). Critical project competence: a case study. Journal of Workplace Learning, 15,(7/8), 307-312.

Schermmerhorn, J.R, Hunt, J.G., Osborn, R.N. (1999). Fundamentos de comportamento organizacional. Porto Alegre, Bookman.

Thayer, L., (1976). Comunicação: fundamentos e sistemas. S. Paulo: Atlas.

Toffler, A. (1971). Future Chock. New York, Bantam Books.

Torquato do Rego, F. G. (1986). Comunicação Empresarial, Comunicação institucional: conceitos, estratégias, sistemas, estrutura, planejamento e técnicas. São Paulo: Summus.

Turner, J.; Müller, R. (2003). On the nature of the project as a temporary organization. International Journal of Project Management, 21(1)1-8.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/10.5585

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Gestão e Projetos e-ISSN: 2236-0972
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional