Análise de um Processo de Inovação a Partir da Ótica de Gestão de Projetos

Viviane Goelzer, Cristine Hermann Nodari, Leandro Soccol, Eliana Severo

Resumo


Os projetos ocorrem em praticamente todas as organizações variando em termos de finalidade, complexidade e volume de recursos empregados, gerando produtos ou serviços para clientes internos e externos. Quando uma empresa decide inovar, está, em maior ou menor grau, tomando uma decisão organizacional e assumindo os riscos de mudança. Neste contexto, o estudo teve por objetivo analisar o gerenciamento de projetos e sua aplicação para a inovação, como perspectiva da obtenção de resultados positivos. Tratou-se de uma pesquisa exploratória e descritiva, tendo como método de trabalho o estudo de caso Os resultados observados foram a oportunidade da empresa, conhecer e praticar as ferramentas de gerenciamento de projetos a fim de aperfeiçoar seus recursos e viabilizar suas ideias através de tecnologias e inovações oferecidas a seus clientes, bem como apresentar a aproximação das teorias de gerenciamento de projetos a partir da gestão de ideias e implementação de inovação em seus produtos e serviços. Por fim, ressaltou-se as limitações da pesquisa e oportunidades de trabalhos futuros.


Palavras-chave


Inovação. Tecnologia. Gerenciamento de Projetos.

Texto completo:

PDF

Referências


Aldabó, R. (2006). Gerenciamento De Projetos, Procedimento Básico E Etapas Essenciais. 2 Ed. São Paulo: Artliber Ltda.

Andrade, T. N. (2007). O problema da emperimentação na Inovação Tecnológica. Revista Brasileira de Inovação, v.6, p. 311-329.

Barbieri, J. C. (2004). Organizações Inovadoras: estudos e casos brasileiros. 2 ed. Rio de Janeiro: FGV.

Bardin, L. (2006). Análise de conteúdo. Lisboa Edições 70. Lisboa.

Bizzotto, C. E. N. (2008) Plano de Negócios para Empreendimentos Inovadores. 1 ed. São Paulo: Atlas S.A,.

Campos, B. (2009) Padrões Setoriais de Inovação na Indústria Brasileira. Revista Brasileira de Inovação, v.8, p. 167-210.

Carvalho, M. R. (2011) Gestão de Projetos, da Academia à Sociedade. 1 ed. Curitiba: IBPEX.

Drucker, P. F. (1986). Inovação e Espírito Empreendedor Prática e Princípios. 1 ed. São Paulo: Cengage Learning.

Figueiredo, P. N. (2003). Aprendizagem Tecnológica e Performance Competitiva. 1 ed. Rio de Janeiro: FGV.

Gomes, C. M. (2009). Indicadores e Características da Gestão de Fontes Externas de

Informação Tecnológica e do Desempenho Inovador de Empresas Brasileiras. Revista de Administração Contemporânea, v.13, p. 174-188.

Grant, A. (2013). Quem matou a criatividade? O assassino está por perto. 1 ed. São Paulo: Saraiva.

Heldmann, K. (2009). Gerência de Projetos: Guia para o Exame Oficial do PMI. 7ed. Rio de Janeiro: Elsevier Ltda.

Jugend, D., da Silva, S.L., Magnanini Almeida, L.F. & Gobbo Junior, J.A. (2013). Integration practices for the technological innovation of products: Case studies at two large technological companies. Journal of Technology Management and Innovation, v. 8 n. .1, p. 26-36.

Keelling, R. & Branco, R. H. F. (2002). Gestão de Projetos, Uma abordagem global. 1 ed. São Paulo: Saraiva.

Kumar, R., Ajjan, H. & Niu, Y. (2008) Information Technology Portfolio Management: literature review, framework, and research issues. Information Resource Management Journal, v. 21, n. 3, p. 64-87..

Mañas, A. V. (2001). Gestão de Tecnologia e Inovação. ed. Rev. E atual. São Paulo: Érica Ltda, 2001.

Mauborgne, R. (2005). A estratégia do Oceano Azul, Como criar novos mercados e tornar a concorrência irrelevante. 16 ed. São Paulo: Elsevier.

Maximiano, A. C. A. (2002). Administração de Projetos: como transformar ideias em resultados. 2 ed. São Paulo: Atlas S.A.

Menezes, L. C. M. (2003). Gestão de Projetos. 2 ed. São Paulo: Atlas S.A.

Neto, J.I.J., Luciano, E.M. & Testa, M.G. (2013). Identificando o Potencial de Inovação das organizações por meio da análise do portfólio de projetos de Tecnologia da Informação. Gestão e Produção, v. 20, n.3, p. 495-510.

Nodari, C.H., Olea, P.M., Dorion, E. & Severo, E.A. (2012). Innovations in primary care management: a Brazilian Experience. World Review of Entrepreneurship, Management and Sust. Development, v.8, n.2, p. 165 – 180, 2012.

Oliveira, S. B. (2012). Análise e Melhoria de Processos de Negócios. 1 ed. São Paulo: Atlas S.A.

Pereira, A. J. (2012). Processo de Aprendizado, acumulação de conhecimento e sistemas de Inovação: “a co-evolução das tecnologias físicas e sociais” como fonte de desenvolvimento econômico. Revista Brasileira de Inovação, v.11, p. 137-166, 2012.

Project Management Institute. (2008). Um guia do Conjunto de Conhecimentos em

Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK). 4. ed. Pennsylvania, USA: Project

Management Institute, Inc.

Prado, D. (2000). Gerenciamento de Projetos nas Organizações. 1 ed. Minas Gerais: Desenvolvimento Gerencial.

Rabechini, R. JR. (2011). Fundamentos em Gestão de Projetos. Construindo Competências para Gerenciar Projetos. 3 ed. São Paulo: Atlas S.A.

RITA, P. S. L. (2010). Consumo de Produtos Inovadores, aplicação do índice de prontidão para Tecnologia. Revista Brasileira de Inovação, v.9, p. 167-196.

Rocha, A.C., Gomes, C. M., Kneipp, J.M. & Camargo, C.R. (2013). Gestão de Projetos e Sustentabilidade: Um Estudo Bibliométrico da Produção Científica na Base Web of Science. Revista de Gestão e Projetos - GeP, São Paulo, v. 4, n. 3, p 73-97.

Ruffoni, J. (2005). Conhecimento, Sistemas de Inovação e Desenvolvimento. Revista Brasileira de Inovação, v.5, p. 219-226.

Simões, R. (2005). A Geografia da Inovação: uma Metodologia de Regionalização das informações de Gastos em P&D no Brasil. Revista Brasileira de Inovação, v.4, p. 157-185.

Stadler, C. (2011). Process innovation and integration in process-oriented settings: The case of the oil industry. Journal of Product Innovation Management, v. 28, n. 1, p. 44-62.

Starec, C. (2005). Gestão Estratégica da Informação e Inteligência Competitiva. 1ed. São Paulo: Saraiva.

Taylor, W. C. (2008). Inovadores em Ação. As estratégias das empresas que estão redefinindo seus mercados e criando vínculos originais com seus clientes. 1ed. Rio de Janeiro: Sextante.

Tidd, J. (2008). Gestão da Inovação. 3 ed. Porto Alegre: Bookman.

Tigre, B. P. (2006). Gestão da Inovação: a economia da tecnologia no Brasil. 1 ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

Valeriano, D. L. (2005). Moderno Gerenciamento de Projetos. 1 ed. São Paulo: Prentice Hall.

Xavier, M. S. C. (2009). Gerenciamento de Projetos, como definir e controlar o escopo do Projeto. 2 ed. São Paulo: Saraiva.

Zackiewicz, M. (2005). Estudos prospectivos e a organização de sistemas de inovação no Brasil. São Paulo em Perspectiva, v.19, p. 115-121.

Yin, K. R. (2005). Estudo de Caso – Planejamento e Métodos. 3 ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/10.5585

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Gestão e Projetos e-ISSN: 2236-0972
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional