A Sobrecarga de Recursos de Tecnologias Móveis na Atividade de Gestão de Portfólio

Carla Bonato Marcolin, Henrique Mello Rodrigues de Freitas, Ariel Behr

Resumo


O ambiente organizacional está cada vez mais embebido em tecnologias, que proporcionam novas formas de interação entre indivíduos e entre empresas. As tecnologias móveis, posicionadas nesse ambiente, são tecnologias que transformam o cenário dos gestores, trazendo facilidades e desafios ao mesmo tempo. Analisar a participação destas tecnologias na vida gerencial é relevante para poder perceber como os gestores lidam com elementos emergentes da intensa integração de suas atividades com as tecnologias móveis e todas as suas possibilidades. Neste cenário, os gestores de portfólio financeiro lidam adicionalmente com uma transformação na sua profissão. A queda da rentabilidade do mercado de capitais fez com que uma série de produtos de investimentos proliferassem, exigindo desse profissional não apenas habilidades de operador, como também de gestor e aconselhador financeiro, para conseguir atrair e guiar seus clientes dentro de tantas novas opções disponíveis.  Por meio de um estudo com 11 gestores, procurou-se aprofundar em elementos a respeito da sobrecarga dos recursos de tecnologia móvel, e de como estes profissionais encaram as questões abordadas na sua rotina.


Palavras-chave


Gestor de Portfólio Financeiro; Tecnologias Móveis; Sobrecarga

Texto completo:

PDF

Referências


Andriotti, F. K., Freitas, H. M. R., & Martens, C. D. P. (2014). Proposição de um Protocolo para Estudo sobre a Intuição e o Processo de Tomada de Decisão. REGE – Revista de Gestão da USP, 21.

Ark, W. S., & Selker, T. (1999). A look at human interaction with pervasive computers. Ibm System Journal, 38.

Associação Brasileira Das Entidades Dos Mercados Financeiro E De Capitais - ANBIMA. (2013). Certificação. Disponível em: Acesso em 21 de Novembro de 2013.

Bharadwaj, A., Sawy, O., Pavlou, P., & Venkatraman, N. (2013) Digital Business Strategy: Toward a Next Generation of Insights. Management Information System Quarterly (MISQ), (Special Issue: Digital Business Strategy), 32 (2), 471-482.

Burton-Jones, A., & Straub, D. W. (2006). Reconceptualizing System Usage: An Approach and Empirical Test. Information Systems Research, 17 (3), 228-246.

Büscher, M., & Urry, J. (2009). Mobile Methods and the Empirical. European Journal of Social Theory, 12 (1), 99-116.

Dourish, P. (2004). What we talk about when we talk about context. Personal and Ubiquitous Computing, 8, 19–30.

Drucker, P. F. (1999) Knowledge-Worker Productivity: The Biggest Challenge. California Management Review, 41, 79-94.

Eppler, M. J, & Mengis, J. (2004). The Concept of Information Overload: A Review of Literature from Organization Science, Accounting, Marketing, MIS, and Related Disciplines. The Information Society, 20, 325-344.

Financial Conduct Authority - FCA. (2013). Different types of investment advisers. Disponível em: Acesso em 10 de Outubro de 2013.

Financial Industry Regulatory Authority - FINRA. (2013). Selecting Investment Professionals. Disponível em: Acesso em: 13 de Outubro de 2013.

Folha De São Paulo. (2013). Bolsa brasileira fecha em queda de 3% e atinge menor nível desde agosto de 2011. Disponível em: Acesso em: 09 de Julho de 2013.

Forbes. (2013). Bring Your Own Device: In 2013 there will be more Mobile Devices than People on Earth. Disponível em: . Acesso em: 22 de Abril de 2013.

Freitas, H., & Moscarola, J. (2002). Da observação à decisão: Métodos de pesquisa e de análise quantitativa e qualitativa de dados. RAE Eletrônica, 1(1).

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 6 ed.

Goodhue, D. L., & Thompson, R. L. (1995). Task-Technology Fit and Individual Performance. Management Information System Quarterly (MISQ), 19, 213-236.

Hadar, L., Sood, S., & Fox, C. (2013). Subjective Knowledge in Consumer Financial Decisions. Journal of Marketing Research, 50, 303-316.

Instituto Brasileiro De Certificação De Profissionais Financeiros - IBCPF. (2013). O Planejador Financeiro. Disponível em: Acesso em: 18 de Julho de 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS FINANCEIROS – IBCPF. (2013). O que é o IBCPF? Disponível em: Acesso em: 10 de Setembro de 2013.

Karr-Wisniewski, P., & Lu, Y. (2010). When more is too much: Operationalizing technology overload and exploring its impact on knowledge worker productivity. Computers in Human Behavior, 26, 1061-1072.

Lee, A. (1991). Integrating Positivist and Interpretive Approaches to Organizational Research. Organization Science, 2(4), 342-365.

Leiva, L. A., Böhmer, M., Gehring, S., & Krüger, A. (2012). Back to the App: The Costs of Mobile Application Interruptions. In: Mobile HCI, 291-294.

Malhotra, N. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman, 2012, 6 ed.

Marcolin, C. B., & Freitas, H. M. R. (2014). Sobrecarga do uso de Tecnologia Móvel: Proposta de Elementos para Estudo com Profissionais do Mercado Financeiro. In: 11º Congresso Internacional de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação – CONTECSI. São Paulo, RS, Brasil.

Mintzberg, H. (1984). Le Manager au Quotidien Les dix rôles du cadre. Paris: Les Éditions D’Organisation.

Pica, D., Sorensen, C., & Allen, D. (2004). On Mobility and Context of Work: Exploring Mobile Police Work. In: Thirty-Seventh Hawaii International Conference on System Sciences (HICSS-37).

PMI. (2008). Um guia de conhecimento em gerenciamento de projetos (guia PMBOK). Porto Alegre: Bookman.

Póvoa, A. (2010). Mundo Financeiro: um olhar de um gestor. Editora Saraiva, São Paulo.

Saccol, A. Z., & Reinhard, N. (2007). Tecnologias de Informação Móveis, Sem Fio e Ubíquas: Definições, Estado-da-Arte e Oportunidades de Pesquisa. Revista de Administração Contemporânea, 11, 175-198.

Sandi, L. B., & Saccol, A. Z. (2010). Sobrecarga de Informações geradas pela Adoção de Tecnologias da Informação Móveis e Sem Fio e suas decorrências para Profissionais de Vendas. Revista Eletrônica de Sistemas de Informação, 9(2), 1-23.

Schroeder, R. (2010). Mobile phones and the inexorable advance of multimodal connectedness. New Media Society.

Sorensen, C. (2010). Cultivating Interaction Ubiquity at Work. Information Society, 26, 276-287.

Wang, H., & Yang, H. (2005). The role of personality traits in utaut model under online stocking. Contemporary Management Research, 01(01).

Weiser, Mark. (1991). The Computer for the Twenty-First Century. In: Scientific American Ubicomp, 94-10.

Yin, R. K. (2010). Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. Porto Alegre: Bookman, 4 ed.

Zhong, B. (2013). From smartphones to ipad: Power users’ disposition toward mobile media devices. Computers in Human Behavior. 29(4), 1742-1748.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/10.5585

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Gestão e Projetos e-ISSN: 2236-0972
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional