Satisfação de Gerentes Conduz à Maturidade em Gestão de Projetos? Um Estudo de Caso no Serpro

Fabio Brito Santos, Francisco Uchoa Passos

Resumo


Este artigo faz uma avaliação do sistema de gerenciamento de projetos (GP) de software no SERPRO – Serviço Federal de Processamento de Dados, a partir da percepção de 271 profissionais que atuam em onze estados do Brasil desempenhando o papel de líder de projeto de software. O sistema de GP de software do SERPRO foi avaliado a partir de duas dimensões: a) a ferramenta tecnológica em si; e b) a maturidade organizacional em gestão de projetos. Para a avaliação da ferramenta, empregou-se um construto com 11 variáveis e igual número de indicadores. Na avaliação da maturidade, usou-se outro construto, com 7 variáveis e 21 indicadores correspondentes. As intensidades com que os sujeitos da pesquisa manifestaram-se sobre as duas referidas dimensões foram aferidas em uma escala do tipo Likert, com variação de 1 a 7. Os resultados mostraram que tanto o sistema computadorizado quanto a maturidade organizacional em gestão de projetos receberam avaliação levemente superior à média da escala, demonstrando que há espaço para melhorias naquelas duas dimensões. A estratificação da amostra em dois grupos, o dos sujeitos mais satisfeitos com o sistema e o dos sujeitos menos satisfeitos, revelou que os primeiros avaliam a maturidade organizacional de forma significativamente mais positiva do que os últimos. Essa diferença confirmou-se com a prova U de Mann-Whitney que levou a inferir sobre a possibilidade de alguma correlação entre a satisfação do indivíduo com a ferramenta e o potencial de contribuição que o mesmo pode dar para o incremento da maturidade organizacional da Instituição.

DOI:10.5585/gep.v2i1.29


Palavras-chave


Gerência de Projetos de Software; Maturidade Organizacional; Avaliação de Sistemas de Informações; Satisfação de Usuários

Texto completo:

PDF

Referências


Adams, D. A.; Nelson, R. R.; and Todd, P. A. (1992). Perceived usefulness, ease of use and usage of information technology: a replication. MIS Quarterly, 16(2), 227-247.

http://dx.doi.org/10.2307/249577

Amoako-Gyampah, K. and Salam, A. F. (2004, July). An extension of the technology acceptance model in an ERP implementation environment. Information & Management, 41(6), 731-745.

http://dx.doi.org/10.1016/j.im.2003.08.010

Chin, W. W. and Lee, M. K. O. (2000, December) – On the formation of end-user computing satisfaction: a proposed model and measurement instrument. international conference on information systems (pp. 553-563). Proceedings of the 21st International Conference on Information Systems. Brisbane, Australia, 10-13.

Davis, F. D. (1989, September). Perceived usefulness, perceived ease of use, and user acceptance of information technology. MIS Quarterly, 13(3), 319-340.

http://dx.doi.org/10.2307/249008

Dinsmore, P. C. (1999). Transformando estratégias empresariais através da gerência por projetos. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Doll, W. J. and Torkzadeh, G. (1988). The measurement of end-user computing satisfaction. MIS Quarterly, 12(2), 259–274.

Fincher, A. and Levin, G. (1997). Project management maturity model. Chicago: Project Management Institute.

Hair, J. F., Jr.; Anderson, R. E.; Tatham, R. L.; and Black, W. C. (2005). Multivariate data analysis (5th ed.). New Jersey: Prentice Hall.

Hartman, F. T. and Skulmoski, G. (1998). Project management maturity. Project Management Journal, [S.l.], 4(1), 74-78.

Hendrickson, A. R.; Massey, P. D.; and Cronan, T. P. (1993, June). On the test-retest reliability of perceived usefulness and perceived ease of use scale. MIS Quarterly, 17, 227-230.

http://dx.doi.org/10.2307/249803

Maçada, A. C. G. e Borenstein, D. (2000, setembro). Medindo a satisfação dos usuários de um sistema de apoio à decisão. Anais do XXIV Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração – EnAnpad, Florianópolis, SC, Brasil.

Mahmood, M. A.; Burn, J. M.; Gemoets, L. A.; and Jacquez, C. (2000). Variables affecting information technology end-user satisfaction: a meta-analysis of the empirical literature. International Journal Human-Computer Studies, 52, 751-771.

http://dx.doi.org/10.1006/ijhc.1999.0353

Okeef, R. M.; Balci, O.; and Smith, E. P. (1987). Validating expert system performance. IEEE Expert, [S.l.], 2, 8.090.

Project Management Institute. (2003). Organizational Project Management Maturity Model (OPM3): Knowledge Foundation. Newtown Square, PA, USA: Project Management Institute.

Rios, L. R.; Maçadas, A. C. e Lunardi, G. L. (2006, agosto). Medindo a satisfação do usuário final de um sistema Business-to-Business. Anais do IX Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais, São Paulo, SP, Brasil, 29-31.

Segars, A. H. and Grover, V. (1993). Re-examining perceived ease of use and usefulnes: a confirmatory factor analysis. MIS Quarterly, 17, 517-525.

http://dx.doi.org/10.2307/249590

Software Engineering Institute. (2002). Capability Maturity Model Integration (CMMI). Pittsburg, PA, USA: Carnegie Mellon Software Engineering Institute.

Venkatesh, V. and Davis, F. D. (2000, February). A theoretical extension of the technology acceptance model: four longitudinal field studies. Management Science, 46(2), 186-204.

http://dx.doi.org/10.1287/mnsc.46.2.186.11926

Venkatesh, V.; Morris, M. G.; Davis, G. B.; Davis, and Fred D. (2003, September). User acceptance of information technology: toward a unified view. MIS Quarterly, 27(3), 425-478.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/10.5585

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Gestão e Projetos e-ISSN: 2236-0972
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional