Contribuições e Desafios da Sustentabilidade na Gestão de Projetos

Clivyan Tavares de Amorim Cavalcanti, Ilka Rafaella Martins Silva

Resumo


A sustentabilidade nos negócios deve ser focada em três instâncias: a prosperidade, a qualidade ambiental e a equidade social. Os princípios da sustentabilidade devem ser implementados em três níveis organizacionais: estratégico, tático e operacional. No entanto, é no nível tático onde menos se encontram evidências desta prática, sendo situada neste nível a gestão de projetos. Este trabalho desenvolveu uma visão crítica sobre a importância da implantação da sustentabilidade na prática de gerenciamento de projetos e foi realizado um estudo bibliográfico no banco de dados do Google Acadêmico. Procedeu-se uma análise qualitativa dos construtos sustentabilidade e gestão de projetos, a partir de uma revisão de artigos publicados entre 2005 e 2015. Identificou-se que os estudos realizados sobre gestão de projetos integrando os princípios sustentáveis têm uma perspectiva de contribuições no meio corporativo, alguns indicadores são a tomada de decisão por consenso ao invés de restritamente Top-Down (de cima para baixo); as análises sistêmicas e não apenas lineares; a medição de desempenho pelo triple bottom line (econômico, social e ambiental); e a gestão pensada em curto, médio e longo prazo. Analisando-se as publicações no período estudado, percebeu-se que a implantação da sustentabilidade nos projetos corporativos gera oportunidades, satisfação dos stakeholders e aumento de pelo menos 2% na sua produtividade. Para acompanhar e/ou tentar gerar mudanças desejadas no ambiente organizacional, a questão do desenvolvimento sustentável deve ser considerada uma inovação e, portanto, ainda é grande o desafio.


Palavras-chave


Sustentabilidade; Gestão de Projetos; Desenvolvimento Sustentável.

Texto completo:

PDF

Referências


Assumpção, L. F. J. (2008). Sistema de Gestão ambiental: Manual prático para implementação de SGA e certificação ISO 14001. 2. ed. Curitiba: Juruá.

Andrade, A. L.; Seleme, A.; Rodrigues, L. H.; Souto, R. (2006). Pensamento sistêmico: caderno de campo: o desafio da mudança sustentada nas organizações e na sociedade. Porto Alegre: Bookman.

Anselmo, J. L. (2009) Gerenciamento de projetos em negócios baseados em projetos: uma proposta integrada das dimensões operacional, organizacional e estratégica. 2009. 419 f. Tese (Doutorado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade de São Paulo (USP), São Paulo.

Ansoff, H. Igor; McDonnell, Edward J. (2009). Implantando a administração estratégica. São Paulo: Atlas. 590 p.

Barbieri, J. C. (2004). Gestão Empresarial Ambiental. São Paulo: Saraiva.

Barbieri, José Carlos (2007). Gestão ambiental empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. 2. ed., rev. e atual. São Paulo: Saraiva.

Barbieri, J. C; Vasconcelos, I. F. G.; Tales, A.; Vasconcelos, F. C. (2010). Inovação e sustentabilidade: novos modelos e proposições. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 50, n. 2.

Besserman, Sérgio. (2008). A lacuna das informações ambientais. In: Trigueiro, André. Meio Ambiente no século 21. Campinas: Armazém do Ipê, P. 91 – 105.

Bhamra, T; Lofthouse, V. (2007). Design For Sustainability : A Practical Approach. Gower.

Bouer, R.; Carvallho, M. M. (2005). Project management maturity: just a singular methodology is enough? Revista Produção, v. 15, n. 3, pp. 347-361.

Brandli, L. B. et al. (2010). The Latin America Meeting of Sustainable Universities (I ELAUS): results and possibilities.In: ERSCP-EMSU CONFERENCE, Delft, The Netherlands.

Brook, J. W., & Pagnanelli, F. (2014). Integrating sustainability into innovation project portfolio management–A strategic perspective. Journal of Engineering and Technology Management.

Capra, F. (2002). As Conexões Ocultas: Ciência para uma Vida Sustentável. São Paulo: Pensamento-Cultrix.

Carvalho, M. M., Rabechini, R. (2006). Construindo Competências para Gerenciar Projetos. São Paulo: Atlas.

Cirelli, J. R.; Kassai (2010). Análise da Percepção sobre Sustentabilidade por parte de stakeholders de uma instituição financeira: um estudo de caso. Congresso USP.

Dias, R. (2011). As empresas e o meio ambiente. In: DIAS, Reinaldo. Gestão ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. 2 ed. São Paulo: Atlas.

Elkington, J. (2012). Sustentabilidade, canibais com garfo e faca. São Paulo: M. Books.

Fraga, R. V.; Silva, C. E. (2010). Balanced Scorecard: planejamento estratégico no contexto das organizações do Terceiro Setor. Revista Brasileira de Administração Científica, Aracaju, v.1, n.1, pp. 5‐31.

Frickmann, C. E. (2007). Sustentabilidade e Competitividade: O Papel das Empresas. (Portuguese). Revista de Economia Mackenzie, 5(5), 87-101.

Furtado, J. S. (2005). Sustentabilidade empresarial: guia de práticas econômicas, ambientais e sociais. Salvador: NEAMA/CRA.

Gomes, S. M. S., Lima, A. S., Rocha, L. F., Slomski, V. G. (2013). Sustentabilidade empresarial: Concepções e ações ambientais de gestores do setor alimentício. Revista Razão Contábil & Finanças, Fortaleza, v. 4, n. 2.

Halac, R., Schiller, S., & Venturini, E. (2005). Sustainable universities: New knowledge and innovative actions. THE 2005 WORLD SUSTAINABLE BUILDING CONFERENCE, 2005, Tokyo. Proceedings. Tokyo, pp. 2316-2322.

Herrero Filho, Emílio (2005). BSC e a Gestão Estratégica. Rio de Janeiro: Campus.

Huang, B.G.; Asce, A.M., & Lim, E.J. (2013). Critical Sucess Factors for key Project Players and Objectives: Case study of Singapore. Journal of Construction Engineering and Management, pp. 203-216.

Isaab, N. K. M., Aliasb, A., & Samadb, Z. A. (2014). Sustainability Integration Into Building Projects: Malaysian Construction Stakeholders’perspectives. The Macrotheme Review 3.

Kerzner, H. (2009). Project management: A systems approach to planning, scheduling and controlling. Tenth Edition.ed. New York: John Wiley and Sons.

Kerzner, H. (2012). Gestão de Projetos: as melhores práticas. Porto Alegre: Bookman.

Kessler, H. J. (2013). Shifting mindsets and awakening possibility. Environmental Design & Construction, 16(4), 38-40.

Lacerda, D. P., Deus, A. D., & Rodrigues, L. H. (2011). Proposta de Indicadores sistêmicos para avaliação de fornecedores de uma empresa do ramo automotivo. XXXI ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Anais... Belo Horizonte, MG, Brasil.

Laruccia, M.M.; Yamada, K.J. (2011). O desenvolvimento sustentável e a gestão de compliance em instituições financeiras. Estratégica, vol.11(02), dezembro.

Lima, A. M. (2007). Instrumentos de Reporte de Sustentabilidade (Triple Bottom Line). Foz do Iguaçu: UFSM.

Motta, S.F.R. (2009). Sustentabilidade e Processos de Projetos de Edificações. Revista Gestão & Tecnologia de Projetos, Vol. 4, n 1.

Patah, L. A.; Carvalho, M. M. (2012). Métodos de gestão de projetos e sucesso dos projetos: Um estudo quantitativo do relacionamento entre estes conceitos. Revista de Gestão e Projetos, São Paulo, v. 3, n. 2, p 178-206.

Piscopo, M.R. (2013). Maturidade em Gestão de Projetos e Empreendedorismo Estratégico em Empresas do Setor Financeiro. Revista Gestão & Tecnologia, Pedro Leopoldo, v. 13, n. 3, p.178-208, setetembro/dezembro.

Robichaud, L. B., Anantatmula, V. S. (2011). Greening project management practices for sustainable construction. Journal of Management in Engineering, 27, pp. 48-57.

Rocha, J. M. e Brandenburg, A. (2003). Limites e desafios da agricultura familiar: a sustentabilidade em questão. In: REDES, v. 8 ,n . 2 , p. 93-104. Santa Cruz do Sul: Edunisc.

Roorda, N. (2008). Assessment, policy development & certification of education for sustainable development: AISHE 2.0. In: ENVIRONMENTAL MANAGEMENT OF SUSTAINABLE UNIVERSITIES - EMSU, 5, 2008, Barcelona. Conference Contributions. Barcelona: UPC/UAB/RCE, pp. 493-502.

Salgado, M.S. (2004). Produção arquitetônica e interdisciplinaridade: Uma discussão sobre o processo do projeto e a ISO 9001/2000. In: I Conferência Latino-Americana de Construção Sustentável e 10º. Encontro Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído. Anais.... São Paulo: ENTAC, p.1-10

Sampaio, RF., Mancini, MC. (2007) Estudos de Revisão Sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia: São Carlos, v. 11, n. 1, p. 83-89, janeiro/fevereiro.

Sánchez, M. A. (2014). Integrating sustainability issues into project management. Journal of Cleaner Production.

Schein, E. (2009). Cultura organizacional e liderança. São Paulo: Atlas.

Senge, P. (2009). A quinta disciplina: caderno de campo: estratégias e ferramentas para construir uma organização que aprende. São Paulo: Best Seller.

Silveira, M. C. A. C. (2011). Responsabilidade Social Empresarial e a Sustentabilidade. São Paulo: Annablume.

Tauchen, J.; Brandli, L. L. (2006). A gestão ambiental em instituições de ensino superior: modelo para implantação em campus universitário. Gestão & Produção, São Carlos, v. 13, n. 3, p. 503-515, setembro/dezembro.

Tavares, S. (2006). Avaliação de projetos sócio-esportivos. In: MELLO, V.de A.; TAVARES, C. O exercício reflexivo do movimento: educação física, lazer, e inclusão social. Rio de Janeiro: Shape, pp. 200-211.

Todorov, M.C.A., Kniess, C.T., & Martins, C.B. (2013). Competências de Gerentes de Projetos Sustentáveis. In: II SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE, 2013. Anais... São Paulo.

Todorov, M.C.A.; Kniess, C.T.; Martins, C.B.; Martins, S.B. (2014). Avaliação de um projeto de ecoeficiência segundo as práticas em gerenciamento de projetos. Revista Expectativa, vol. 13, p. 121 –138.

Torres, L. L. (2008). A escola como entreposto cultural: o cultural e o simbólico no desenvolvimento democrático da escola. Revista Portuguesa de Educação, v. 21, n. 1.

Valle, A. B.; Soares, C. A. P.; Finocchio JR., J.; Silva, L. S. F. (2007). Fundamentos do gerenciamento de projetos. Rio de Janeiro: FGV.

Vargas, R. V. (2005). Gerenciamento de projetos: estabelecendo diferenciais competitivos. Rio de Janeiro: Brasport.

Voltolini, R. (2011). Líderes Sustentáveis. O que aprender com quem fez ou está fazendo a mudança para a sustentabilidade. São Paulo: Senac.

Willard, B. (2002). The Sustainability Advantage. New York: New Society Publishers.

Xavier, C.M.S. (2009). Gerenciamento de Projetos: como definir e controlar o escopo do projeto. 2. ed. São Paulo: Saraiva.

Zoghbi, J. F. G., Martins, J. E. P. (2009). Gestão do conhecimento e da informação em ambientes com elevado turnover na alta chefia: um estudo de caso em projetos de governo. In: CONGRESSO CONSAD DE GESTÃO PÚBLICA, 2 ed., Brasília (DF). Anais. Brasília: Consad.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/10.5585

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Gestão e Projetos e-ISSN: 2236-0972
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional