Gestão de Projetos Sustentáveis e Inovadores: Um Estudo Bibliométrico

Graziela Darla Araujo Galvão, Leandro Alves Patah

Resumo


A sustentabilidade organizacional desponta como uma tendência em resposta às demandas e pressões da sociedade, implicando no desenvolvimento de tecnologias e operações alinhadas aos seus preceitos. Neste contexto, os projetos de inovação emergem como importante vetor para esta mudança de paradigma, incitando o estímulo à pesquisa acadêmica. Este estudo mapeou as bases de dados ISI e Scopus, buscando caracterizar a natureza das publicações que integrem os tópicos sustentabilidade, gerenciamento de projetos e inovação, considerando-se a quantidade, tipo, ano, principais autores e fontes, autores versus citações, co-citações e hot topics. Os resultados sugerem alguma insipiência na literatura, à medida que foram identificadas somente 587 publicações nos últimos 32 anos, oferecendo uma lacuna para o desenvolvimento do conhecimento. 


Palavras-chave


Gestão de Projetos; Sustentabilidade; Inovação; Bibliometria.

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, F. (2007). Os desafios da sustentabilidade: Uma ruptura urgente (1a ed.). Rio de Janeiro: Elsevier.

Araújo, C. A. (2006) Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em questão, 12 (1), 11-32.

Banks, M. G. (2006). An extension of the Hirsch index: indexing scientific topics and compounds. Disponível em: . Acesso em: maio de 2016

Bartezzaghi, E., Corso, M., & Verganti, R. (1997). Continuous improvement and inter-project learning in new product development. International Journal of Technology Management, 14(1), 116-138.

Barbieri, J. C. (2007). Organizações inovadoras sustentáveis: uma reflexão sobre o futuro das organizações (1a ed.). São Paulo: Editora Atlas.

Barbieri, J. C., Vasconcelos, I. F. G., Andreassi, T., & Vasconcelos, F. C. (2010). Inovação E Sustentabilidade: Novos Modelos E Proposições. Revista de Administração de Empresas, 50(2), 146.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Bellis, N. (2009). Bibliometrics and citation analysis: from the science citation index to cybermetrics. Nova York: Scarecrow Press.

Brown, H.S., & Vergragt, P. (2008). Bounded Socio-technical Experiments as Agents of Systemic Change: The case of a zero-energy residential building. Technological Forecasting a Social Change, 75(1), 107-130.

Brown, H.S., Vergragt, P., Green, K. & Berchicci, L. (2003). Learning for Sustainability Transition through Bouded Socio-technical Experiments in Personal Mobility. Technology Analysis and Strategic Management, 15(3), 291-315.

Bruijn, H., & Tem Heuvelhof, E. (2008). Management in Networks, on multi-actor decision-making. London: Routledge.

Bruijn, H., Tem Heuvelhof, E., & In't Veld, R. (2010). Process Management, Why project Management fails in complex decision-making processes (2a ed.). Nova York: Springer Science & Business Media.

Bruijn, H., Van der Voort, H., Dicke, W., De Jong, M. & Veeneman, W. (2004). Creating System Innovation, How large-scale transitions emerge. London: CRC Press.

Caniels, M., & Romijn, H. (2006). Strategic Niche Management as an Operational Tool for Sustainable Innovation: Guidelines for Practice. Schumpeter Conference. Nice, Eindhoven Center for Innovation Studies.

Caniels, M.C.J., & Romijn, H.A. (2008). Strategic niche management: towards a policy tool for sustainable development. Technology Analysis and Strategic Management, 20(2), 245-266.

Carvalho, M. M. de, & Rabechini Jr., R. (2011). Fundamentos em Gestão de Projetos: Construindo Competências para Gerenciar Projetos (3a ed.). São Paulo: Editora Atlas.

Cicmil, S., & Marshall, D. (2005). Insights into collaboration at the project level: complexity, social interaction and procurement mechanisms. Building Research & Information, 33(6), 523-535.

Cooper, R. G. (1993). Winning at New Products: accelerating the process from idea to launch (1a ed.). Nova York: Basic Books

Cooper, R. G., & Edgett, S. J. (2008). Maximizing productivity in product innovation. Research-Technology Management, 51(2), 47-58.

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES (2014). Web of Science – Coleção Principal. Disponível em: http://www.periodicos.capes.gov.br/ Acesso em: novembro 2015

Dinsmore, P. C., & Cabanis-Brewin, J. (2007). Ama: Manual de Gerenciamento de Projetos (1a ed.). Rio de Janeiro: Editora Brasport.

Docherty, M. (2006). Primer on ''Open Innovation'': Principles and Practice. Visions, 30(2),13-15.

Elzem, B. (2005). Transitions Towards Sustainability Through System Innovation. Technological Forecasting a Social Change, 72(6), 651-661.

Elzen, B., Geels, F., & Green, K. (2004). System Innovation and the Transitional to Sustainability. Cheltenham: Edward Elgar.

Giupponi, C., Mysiak, J., Fassio, A., & Cogan, V. (2004). MULINO-DSS: a computer tool for sustainable use of water resources at the catchment scale.Mathematics and Computers in Simulation, 64(1), 13-24.

Geels, F. W. (2004). From sectoral systems of innovation to socio-technical systems: Insights about dynamics and change from sociology and institutional theory. Research policy, 33(6), 897-920.

Geels F. W. (2005). Processes and patterns in transitions and system innovations: Refining the co-evolutionary multi-level perspective. Technological Forecasting a Social Change, 72(6), 681-920.

Geels F. W. (2006). The Hygienic Transition from Cesspools to Sewer Systems (1840-1930): The dynamics of Regime Transformations. Research Policy, 35(7), 1069-1082.

Geels F. W. (2007). Typology of sociotechnical transition pathways. Research Policy, 36(3), 399-417

Grin, J., & Van Staveren, A. (2007). Working on System Innovations. Lessons from the Practices of Innovation Network. Países Baixos: Editora Koninklijke Van Gorcum.

Guedes, V. L., & Borschiver, S. (2005). Bibliometria: uma ferramenta estatística para a gestão da informação e do conhecimento, em sistemas de informação, de comunicação e de avaliação científica e tecnológica. Encontro Nacional de Ciência da Informação, 6, 1-18.

Hirsch, J. E. (2005). Index to quantify of individual’s scientific research output. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of American, 102, 46.

Instituto Ethos e Unithos (2008) Relatório de sustentabilidade. Disponível em: https://www3.ethos.org.br/wpcontent/uploads/2012/12/Relatorio-de-Sustentabilidade-Ethos-e-Uniethos-2008_pt.pdf

Instituto Ethos (2006). Gestão de projetos para sustentabilidade. Conferência Internacional. Disponível em: . Acesso em: 04 mar. 2013

Janissek, R., Freitas, H., & Lesca H.A. (2008). A inteligência antecipativa e coletiva como apoio ao desenvolvimento da capacidade de adaptação das organizações. Revista Organizações em Contexto, 2(4), 92-118.

Kerzner, H. R. (2013). Project Management: Case Studies (11 Ed.). Nova York: John Wiley & Sons.

Kneipp, J. M., Gomes, C. M., Bichueti, R. S., & Maccari, E. A. (2012). Gestão para a sustentabilidade em empresas do setor mineral. Revista de Ciências da Administração, 14(33), 51.

Lahmar, R. (2010). Adoption of conservation agriculture in Europe: lessons of the KASSA project. Land use policy, 27(1), 4-10.

Macedo, M. A.S., Casa Nova, S. P. C., & Almeida, K. (2010). Mapeamento e Análise Bibliométrica da. Utilização da Análise Envoltória de Dados (DEA) em Estudos em Contabilidade e Administração. Contabilidade, Gestão e Governança, 12(3).

Martens, M. L., Brones, F., & de Carvalho, M. M. (2013). Lacunas e tendências na literatura de sustentabilidade no gerenciamento de projetos: uma revisão sistemática mesclando bibliometria e análise de conteúdo. Revista de Gestão e Projetos, 4(1), 165.

Osterloh, M., & Rota, S. (2007). Open source software development—Just another case of collective invention? Research Policy, 36(2), 157-171.

Patah, L.A. (2010). Avaliação da relação do uso de métodos e treinamentos em gerenciamento de projetos no sucesso dos projetos através de uma perspectiva contingencial: uma análise quantitativa. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Rabechini Jr., R., & Carvalho, M. M. D. (2009). Gestão de Projetos Inovadores em uma Perspectiva Contingencial: Análise Teórico- Conceitual e Proposição de um Modelo. Revista de Administração e Inovação, 6, 63–78

Rocha, A. C., Gomes, C. M., Kneipp, J. M., & Camargo, C. R. (2013). Gestão De Projetos E Sustentabilidade: Um Estudo Bibliométrico Da Produção Científica Na Base Web Of Science. Revista de Gestão e Projetos, 4(3), 73.

Salzmann, O., Ionescu-Somers, A., & Steger, U. (2005). Quantifying Effects of Corporate Sustainability Management. Working paper. Lausanne: CSM/IMD.va, M. R., Hayashi, C. R. M., & Hayashi, M. C. P. I. (2011). Análise Bibliometrica e Cientifica: Desafios para Especialistas que Atuam no Campo. Revista de Ciência da Informação e Documentação. Ribeirão Preto.

Spinak, E. (1996) Dicionário enciclopédico de bibliomentria, cienciometria e infometria. Caracas. Unesco.

Tague-Sutcliffe, J. (1992) Na Introduction to informetrics. Information Processing Management, 28(1), 1-3.

Tidd, J., Pavitt, K., & Bessant, J. (2008). Gestão da Inovação (1a ed.). Porto Alegre: Editora Bookman.

Vangundy, A. B. 2007. Getting to Innovation: How asking the right questions generates the great ideas your company needs1a ed.). Nova York: Amacom.

Vanti, N. A. P. (2002). Da bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ciência da informação, 31(2), 152-162.

Vanz, S. A. S. (2009). As redes de colaboração científica no Brasil :(2004-2006). Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil.

World Business Council for Sustaintable Development – WBCSD (2014) Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira.

Zimmerman, A., & Martin, M. (2001). Post-occupancy evaluation: benefits and barriers. Building Research & Information, 29(2), 168-174.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/10.5585

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Gestão e Projetos e-ISSN: 2236-0972
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional