Maturidade no Gerenciamento de Projetos: Um Estudo das Práticas Existentes nos Órgãos do Governo de Pernambuco

Marcos Gilson Gomes Feitosa

Resumo


As metas capazes de atender à estratégia dos negócios da organização dão origem aos projetos que a organização executará. E, o sucesso na gestão destes projetos está relacionado com a sua gestão. Com isso, as organizações, especialmente as públicas, por serem vistas como ineficientes, necessitam amadurecer na ciência e na arte da gerência de projetos. Este artigo é um estudo de caso em que se busca identificar o nível de maturidade no gerenciamento de projetos dos órgãos públicos do Estado de Pernambuco, e as práticas de gestão destes projetos. Para tanto foi realizada uma pesquisa quantitativa, a fim de avaliar o nível 2 do modelo do PMMM proposto por Kerzner (2006), e uma pesquisa qualitativa, a fim de identificar as práticas de gestão dos projetos no Estado. Após este estudo, pode-se concluir que os órgãos públicos do Estado de Pernambuco ainda possuem o nível 2 (processo comum) de maturidade em gestão de projetos, visto que a fase de maturidade propriamente ainda não foi alcançada. Sendo assim, para este nível de maturidade, os órgãos públicos do Estado de Pernambuco estão situados entre as fases de crescimento e maturidade da gestão de projetos.

DOI:10.5585/gep.v3i2.85


Palavras-chave


Governo; Projetos; Maturidade.

Texto completo:

PDF

Referências


Babbie, E. (1999). Métodos de pesquisa de survey. Belo Horizonte, MG: Ed. UFMG.

Bautista, R. (2006). Propuesta de una Metodología de Ayuda a la Decisión para los Procesos de Dirección y Gestión de Proyectos. (Unpublished master’s thesis). Universidad Politécnica de Valencia.

Boiteux, C. (1982). Administração de projetos: técnicas modernas. Rio de Janeiro, RJ: Interciência.

Bjørn, A., & Bjørnar, H., & Wenche, A. (2007). Benchmarking of Project Management Office Establishment: Extracting Best practices. Journal of Management in Engineering, (23), pp.97-104.

Blackstone Jr, J. H., & Cox III, J. F., & Schileier J., John G. Schleier Jr. A tutorial on project management from a theory of constraints perspective. International Journal of Production Research. 47(24), pp. 7029 - 7046.

Bouer, R., & Carvalho, M. M. (2005). Metodologia singular de gestão de projetos: condição suficiente para a maturidade em gestão de projetos? 2005, Retrieved from http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-65132005000300006&script=sci_arttext.

Branch, R. (2009). SPICE: A competitive project management paradigm. Competition Forum, 27(1), 181-187.

Brown, C. J. (2008). A comprehensive organisational model for the effective management of project management. South African Journal of Business Management, 39 (3), pp. 1 - 10.

Cintra, R. F., & Vieira, S. F. A. (2007). O Processo de Implantação da Gestão de Projetos em Órgãos Públicos: um Estudo de Caso na Prefeitura Municipal de Dourados/MS. Proceedings of the 31th Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração - EnANPAD, Rio de Janeiro, Brasil.

Christenson, D. & Walker, D. H. T. (2008). Using vision as a critical success element in Project management. International Journal of Managing Projects in Business. (1) 4, pp. 611 - 622.

Clemente, A., & Wekerlin, J. (1998). Projetos empresariais e públicos. São Paulo, SP: Atlas.

Cooke-Davies, T. J., & Crawford, L. H., & Lecheler, T. G. (2009). Project Management Systems: Moving Project Management From an Operational to a Strategic Discipline. Project Management Journal, (40)1, pp. 110–123.

Costa, E. B., & Jannuzzi, H. B., & Santos, L. (2008). Gerenciamento de projetos no governo do estado do Espírito Santo: o caso do Pró Gestão Proceedings of the Congresso Internacional Del Clad sobre La Reforma Del Estado y de La Administración Pública, Buenos Aires, Argentina.

Crawford, L. (2006). Developing organizational project management capability: theory and practice. Project Management Journal, (36)3, pp. 74-97.

Du, Y., & Yin, Y. (2010). Governance-Management-Performance (GMP) Framework: A Fundamental Thinking for Improving the Management Performance of Public Projects. iBusiness, (2)3, pp. 282-294.

Duque, W. S., & Pelissari, A. S. (2010). Proposição de Modelo entre Gerenciamento de Projetos e Gestão Estratégica: Alinhamento de Processos para a Realização de Objetivos Organizacionais. Proceedings of the 34th Encontro Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração – ENANPAD, Rio de Janeiro, Brasil.

Gomes, C. F., & YASIN, M. M. (2008) Information Relevance and Availability: Toward Effective Management of Projects in Public Sector. Journal of International Technology and Information Management. (17)3/4, pp. 307 - 320.

Greco, T. A., & Lopes, C. H., & Oliveira, C. C., & Leite, R. S. (2009). O Desafio de Implementar a Estratégia: uma análise da utilização do Gerenciamento de Projetos com Ferramenta de Implantação da Estratégia do Governo de Minas Gerais. Proceedings of the 33th Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração - EnANPAD, São Paulo, SP, Brasil.

Haguette, T. M. F (2002). Metodologias Qualitativas na Sociologia. Petrópolis, RJ: Vozes.

Hillson, D. (2003). Assessing organisational project management capability. Journal of Facilities Management. (2)3, pp. 298 - 311.

Hurt, M, & Thomas, J. L. (2009). Building Value Through Sustainable Project Management Offices. Project Management Journal, (40)1, p. 55–72.

Karlsen, J. T. (2010). Project owner involvement for information and knowledge sharing in uncertainty. International Journal of Managing Projects in Business. (3)4, pp. 642 - 660.

Kerzner, Harold (2003). Strategic Planning for a Project Office. Project Management Journal, (34)2, pp. 13 - 25.

Kerzner, Harold (2006). Gestão de projetos: as melhores práticas. Tradução Lene Belon Ribeiro. 2 ed. Porto Alegre, RS: Bookman.

Kerzner, Harold (2011). Project management metrics, KPIs and Dashboards: a guide to measuring and monitoring project performance. Hoboken, NJ: Wiley.

Lenfle, S., & Loch, C. (2010). Lost Roots: how project management came to emphasize control over flexibility and novelity. California Management Review, (53)1, 32 - 55.

Malhotra, Naresh K (2006). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 4 Ed. São Paulo, SP: Bookman.

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2002). Técnicas de pesquisa. 5 Ed. São Paulo, SP: Atlas.

Mattos, P. L. C. L. (2005). A entrevista não-estruturada como forma de conversação: razões e sugestões para a sua análise. Revista de Administração Pública. (39)4, pp. 823 - 846.

McPhee, I. (2008). Project management in the public sector. International Journal of government auditing, 35(4), pp. 10 - 12.

Merriam, S. B (1998). Qualitative research and case study applications in education. San Francisco, CA: Jossey-Bass.

Nascimento, F. C. G., & Coelho Jr, T. P., & Dubke, A. F. (2010). A Transferência de Conhecimento na Implantação de um Escritório de Gerenciamento de Projetos. Revista Gestão e Projetos - GeP, (1)2, pp. 147 - 161.

Ntlokombini, N. N. P. (2010). Project management as a catalyst for improved quality within organisations. (Unpublished master’s thesis). Cape Peninsula University of Technology, Bellville, SA.

Prado, D. S. (2004). Planejamento e controle de projetos. 5 Ed. Nova Lima, MG: INDG Tecs.

Prado, D. S. (2008). Maturidade em gerenciamento de projetos. Nova Lima, MG: INDG Tecs.

Rabechini Jr, Roque (2007). O gerente de projetos na empresa. 2 Ed. São Paulo, SP: Atlas.

Rego, M. L., & Irigaray, H. A. (2011). Gerenciamento de projetos: existe produção científica brasileira? Proceedings of the 35th Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração - EnANPAD, Rio de Janeiro, Brasil.

Robinson, H. & Richards, R. (2009). An Introduction to Critical Change Project Management. AACE International Transactions, pPS.S03.1.

Rozenes, S. & Vitner, G. (2009). The training methodology of project management office (PMO) personnel. Industrial and Commercial Training, (41)1, pp. 36 - 42.

Santos, L. G., & Martins, M. R. (2008). Evoluindo na maturidade em gerenciamento de projetos e empreendimentos: caso do estado do Rio de Janeiro. Proceedings of the Encontro Nacional de Engenharia de Produção – ENEGEP, Rio de Janeiro, 2008.

Strauss, A., & Corbin, J (1998). Basic of qualitative research: techniques and procedures for developing grounded theory. 2. Ed. Thousand Oaks, CA: Sage Publications.

Srivannboon, S. (2009). Achieving competitive advantage through the use of project management under the plan-do-check-act concept. Journal of General Management. (34)3, pp. 1 - 20.

Stare, A. (2010). Comprehensive Management of Project Changes. Economic and Business Review. (12)3, pp. 195 - 210.

Sutterfield, J. S., & Friday-Stroud, S. S., & Shivers-Blackwell, S. L. (2007). How NOT to Manage a Project: Conflict Management Lessons Learned from a DOD Case Study. Institute of Behavioral and Applied Management, (8)3, pp. 218 - 238.

Taylor, James (2006). A Survival Guide for Project Managers. 2 Ed. New York, NY: AMACOM.

Toscano, T. C., & Souza, P. B., & Barrence, A. V. (2008). A experiência do Project Management Offices Central do Estado de Minas Gerais: a busca da maturidade em gerenciamento de projetos governamentais. Proceedings of the Congresso Internacional Del Clad sobre La Reforma Del Estado y de La Administración Pública, Buenos Aires, Argentina.

Verzuh, Eric (2003). The portable MBA in project management. Hoboken, NJ: Wiley.

Webster Jr, F. M., & Knutson, J. (2006). What is Project management? Project management concepts and methodologies. In: P. Dinsmore, & J. Cabanis-Brewin (Eds.), The AMA Handbook of project management (pp. 1 - 10). 2 Ed. Nova Yorque, NY: Amacom.

Yin, R. (2001). Estudo de Caso: planejamento e método. 2. Ed. Porto Alegre, RS: Bookman.

Zdanytè, K., & Neverauskas, B. (2011). The Theoretical Substation of Project Management Challenges. Economics & Management, 16, pp. 1013 - 1018.




DOI: http://dx.doi.org/10.5585/10.5585

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Gestão e Projetos e-ISSN: 2236-0972
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional